• Jonathas Fonsêca

Principais Coverages do Futebol Americano (Defesa)

Atualizado: Abr 27

Conceitos Iniciais


Para entender as coberturas (coverages) de uma defesa no futebol americano, precisamos repassar alguns conceitos iniciais. Em primeiro lugar, vamos dividir o campo de forma a tornar mais didática nossa explicação.

Divisão do Campo


Existem várias formas de dividir o campo, e nenhuma é necessariamente melhor que a outra. O importante é que seu time tenha uma mesma linguagem na hora de repassar esses conceitos para os atletas e se comunicar. Nós vamos utilizar aqui uma divisão simplificada baseada na metodologia R4, do treinador Dub Maddox.

Primeiramente, vamos traçar uma linha horizontal que divide a zona funda da zona rasa do campo (chamamos essa linha de Hard Deck – HD). Podemos traçar o HD a 7 jardas da linha de scrimmage. Uma ótima referência para o HD é o árbitro que fica no meio da defesa, o Umpire. Ele se posiciona, geralmente, a 7 jardas da bola.



Acima dessa linha, vamos dividir o campo em 5 tubos verticais. Cada tubo representando uma zona que a defesa precisa cobrir (e que pode ser explorada pelo ataque). Abaixo dessa linha, vamos dividir o campo em 3 zonas: a box (ou caixa) e as flats. A caixa é delimitada horizontalmente pela metade da distância entre o último homem da linha (EMOL – End Man of Line) e o primeiro jogador afastado da linha (caso não exista jogador afastado da linha, essa linha é traçada a 2 jardas do EMOL). Verticalmente a caixa é delimitada pelo HD. As flats são as 2 regiões que “sobram” abaixo do HD e pra fora da caixa.

Jogadores Elegíveis


Outro conceito que precisamos conhecer é o de número de jogadores elegíveis em campo. É o seguinte: o QB só pode passar a bola para 5 jogadores em campo. Ou seja, não podemos pegar os 10 jogadores do ataque e colocá-los para fazer rotas e o QB executar um passe. O QB não pode passar a bola para os 5 jogadores de linha ofensiva (a função deles é bloquear e defender o QB ou o RB, e não receber passes), a não ser numa trick play (jogada especial), mas não cabe falar sobre isso aqui.


Em resumo: o QB só pode passar a bola para 5 jogadores. Esses jogadores são, em geral, WRs, TEs, RBs ou FBs.


Contagem de Homens na Caixa


Um último conceito que precisamos entender aqui é o de contagem de homens na caixa. O ataque em geral tem pelo menos 5 bloqueadores (OL) protegendo a caixa. Numa jogada de corrida, a defesa precisa penetrar essa barreira ou ser ágil e evitar os bloqueios para tacklear (derrubar) o jogador com posse da bola (em geral, o RB ou o próprio QB). Sendo assim, é importante realizar a contagem de homens do ataque e da defesa na caixa para saber quem está em vantagem no jogo corrido.

Não existe mágica no futebol americano. É um jogo de escolhas. Se você ganha aqui, perde ali. Ganha quem consegue administrar melhor essas escolhas.

Se a defesa lotar a caixa, deixa espaço livre no fundo e nas flats. Se a defesa enche o fundo e as flats, deixa espaço livre na caixa.


Entendido isto, vamos entender cada cobertura básica: 0, 1, 2, 3 e 4

Nomenclatura das Coberturas


É curioso como quase tudo no futebol americano tem vários nomes. Defesas, rotas, coberturas, alinhamentos, jogadas, etc. Cada coach/time define sua terminologia. O ponto é que, por mais diferentes que sejam os nomes, os princípios são os mesmos. A nomenclatura que vamos utilizar aqui é a mais utilizada para coberturas defensivas e os números 0, 1, 2, 3 ou 4 representam a quantidade de homens acima do HD (defendendo os tubos verticais).

Cover 0

Na Cover 0, temos zero defensores acima do HD.

Nesta cobertura, cada jogador elegível do ataque é marcado homem a homem por um dos jogadores da defesa (aos quais vamos chamar aqui de Defensive Backs – DBs). No diagrama, a linha pontilhada indica que o DB está marcando o jogador ofensivo homem a homem. Vamos pegar o caso de um DB marcando um WR. Na marcação homem a homem, o DB lê a movimentação do WR, seus olhos estão voltados para o WR.


Essa cobertura é muito utilizada em red zone ou goal line (regiões em que a defesa praticamente não tem zonas fundas para cobrir) ou em situações em que a defesa quer pressionar o QB e confia na capacidade de seus DBs considerando-os capazes de cobrir os WRs adversários.

Mas entenda bem: é difícil manter sua defesa um jogo inteiro nessa cobertura. Em primeiro lugar, porque o ataque está sempre um passo à frente. O ataque sabe qual jogada está executando, a defesa está reagindo. Isso significa que os DBs teriam que ser muito melhores que os WRs do adversário para estarem sempre reagindo rápido a ponto de cobrirem corretamente seu WR.

Um outro motivo que torna essa cobertura difícil de ser executada sempre, é que o ataque pode chamar jogadas com rotas que se cruzam, o faz com que os DBs, ao tentar seguir seus WRs, acabem se chocando um com o outro.

No entanto, nenhuma cobertura que vamos apresentar aqui tem a pretensão de funcionar magicamente. Cada um tem suas forças e fraquezas. Como disse anteriormente, é saber fazer as escolhas certas no momento certo.

Forças da Cover 0

  • A defesa pode lotar a caixa, pois só os DBs necessários para marcar os WRs abertos estariam fora da caixa;

  • Agressividade atacando o QB adversário, podendo trazer blitzs e pressures de diversos lados;

Fraquezas da Cover 0

  • Zona funda descoberta - se um dos jogadores ofensivos vencer seu matchup (seu marcador), isso pode resultar numa big play ou touchdown;

  • Dificuldade de marcar rotas que se cruzam.

Cover 1


Para proteger a defesa de uma das fraquezas da Cover 0 (zona funda descoberta), na cover 1 movemos um homem da caixa para o fundo do campo. Reduzimos a vantagem numérica na caixa para ganhar cobertura no fundo.

Na Cover 1, temos um defensor acima do HD.

Os demais DBs continuam sua marcação homem a homem. Mas agora têm ajuda de um Safety no meio do campo, no fundo. Este jogador precisa ser rápido e inteligente para ler o QB e a combinação de rotas e conseguir reagir a tempo de evitar uma big play (jogada explosiva) do ataque.


Tanto a Cover 0 quanto a Cover 1 têm uma vantagem importante: são defesas agressivas, que conseguem colapsar o pocket (proteção da OL) mais rapidamente. Além disso, podemos enganar mais o QB adversário pressionando-o com jogadores diferentes. Por exemplo, pode ser que numa jogada o Safety entre em blitz em outra um Corner entre em blitz e o safety marque o WR homem a homem.


Forças da Cover 1

  • Caixa ainda forte, em geral com ao menos 6 homens (depende da formação ofensiva);

  • Agressividade atacando o QB adversário, podendo trazer blitzs e pressures de diversos lados;

Fraquezas da Cover 1

  • “Aways” e “Seams” (veja a figura abaixo): os 4 tubos verticais não protegidos pelos Safety (sobretudo se o ataque executar rotas que ocupam os dois lados, tornando difícil a escolha do Safety – qualquer escolha que ele fizer estará errada, pois o QB lança no lado contrário);

  • Dificuldade de marcar rotas que se cruzam, sobretudo abaixo do HD – ainda temos marcação homem a homem nessa região, o que mantem a mesma dificuldade explicada na cover 0.


Cover 2


Na Cover 2, tiramos mais um homem da caixa para cobrir o fundo. Agora sim, temos uma consistência maior na cobertura do fundo do campo mas, claro, perdemos um homem na caixa. Isso significa que provavelmente nesta cobertura o QB terá mais tempo para realizar suas leituras, pois a linha ofensiva conseguirá protegê-lo por mais tempo. No entanto, ele deve ser bastante cuidadoso nos seus passes, procurando lançar a bola com mais velocidade e precisão, pois a defesa têm mais jogadores no fundo do campo prontos para interceptar um passe.



Na Cover 2, temos dois defensores acima do HD

Esses defensores dividem o campo em 2 regiões fundas pelas quais ficam responsáveis.

Forças da Cover 2

  • Zona funda coberta com mais segurança, sobretudo nas zonas das Seams;

  • DBs abaixo do HD podem ser mais agressivos na press, sem tanta preocupação com “perder” o homem pro fundo do campo, pois sabem que têm ajuda dos safeties na zona funda;

  • DBs abaixo do HD podem reagir mais rápido a jogadas de corrida, pois se errarem ainda têm ajuda dos DBs do fundo;

Fraquezas da Cover 2

  • “Holes”: pequena região entre o Safety e o CB que pode ser explorada com passes precisos e velozes;

  • “MOF”: dividindo o campo em 2, temos uma zona bem no meio dos safeties que pode ser explorada;

  • Menos homens na caixa pode dar mais tempo para o QB fazer suas leituras;

  • Menos homens na caixa pode facilitar o jogo corrido do ataque;

Cover 3

Na Cover 3, temos três defensores acima do HD.

Isso significa que temos os 8 jogadores restantes abaixo do HD, sendo que pelo menos 2 deles normalmente ficam responsáveis pelas zonas das flats, o que deixa 6 jogadores sobrando na caixa.


Assim como na Cover 1, temos um Safety cobrindo o meio do campo, mas agora temos também outros dois DBs cobrindo os espaços externos da região funda do campo. Isso facilita a marcação de rotas fundas abertas e pelo meio, mas deixa cria 2 janelas que podem ser exploradas pelo ataque: as “Seams”. Essas janelas são criadas porque o Safety do meio do campo é obrigado a fazer uma escolha: permanecer no meio, ou atacar um dos lados. O QB lê o Safety e ataca o lado oposto ao que ele defender.

Outra região frágil na Cover 3 é a zona das flats, já que elas em geral são responsabilidades dos Linebackers ou Nicklebacks, dependendo da formação defensiva. Sendo assim, conceitos ofensivos que estressam o CB, obrigando-o a decidir entre cobrir o fundo ou defender a flat, podem ser eficazes contra essa Cover.

Forças da Cover 3

  • Protege as zonas fundas laterais (Rotas como Go/Fade)

  • Melhor proteção para corrida – normalmente mais homens na caixa do que numa Cover 2 e possibilidade de jogar um dos Safeties pra dentro da caixa para defender a corrida;

Fraquezas da Cover 3

  • “Seams”: zonas entre o Safety e cada um dos CBs;

  • Dificuldade de defender combinações de rota que estressam o CB, como Corner-Comeback (Conceito Smash);

  • Dependendo do Outside Linebacker, pode ser difícil defender rotas pra fora nas regiões das flats;


Cover 4

Na Cover 4, temos quatro defensores acima do HD.

A Cover 4 é muito utilizada em situações de fim de jogo ou de fim do 2º quarto, quando a defesa tem o relógio a seu favor e quer se previnir de passes fundos, deixando o ataque completar passes curtos e corridas curtas. Tendo 4 defensores acima do HD, podemos proteger bem a nossa zona funda, tanto de rotas fundas abertas (Go/Fade) quanto de rotas verticais internas (Seams). É muito difícil para um QB conseguir atacar bem a zona funda de uma Cover 4.


No entanto, sempre que ganhamos uma força, aparece uma fraqueza. No caso da Cover 4, temos apenas 7 jogadores abaixo do HD, dos quais normalmente 2 estão responsáveis pelas flats, sobrando 5 defensores na caixa. Isso deixa a defesa em desvantagem numérica contra corridas. Existe, no entanto, a vantagem de normalmente serem os Safeties que defendem jogadas de corrida nessa cover, e não os Cornerbacks.

Além disso, se a defesa optar por trazer os linebackers mais pra perto da caixa, vai deixar mais espaço livre nas flats. Normalmente o Quick Game (passes rápidos) funciona bem para atacar defesas em Cover 4.

Forças da Cover 4

  • Defende bem a região funda do campo, com 4 defensores acima do HD;

  • Safeties defendendo corridas;

Fraquezas da Cover 4

  • Deixa muito espaço livre abaixo do HD, abrindo espaço para o Quick Game;

Detalhes Importantes


Personnel


Quando analisamos uma jogada, um jogo, um esquema, etc., no futebol americano, devemos considerar o fator numérico e estrutural, mas também um ponto importantíssimo: o personnel. O Personnel é o seu grupo de atletas. Quais são as forças dos seus atletas e as fraquezas? Juntando essa peça aos números, você pode montar uma defesa eficiente.

Uma Cover 4 deixa muito espaço nas flats? Sim. Mas e se você tiver flat defenders (Outside Linebackers ou Nicklebacks) extremamente rápidos? E se os seus Cornerbacks tem uma capacidade de reação rápida e podem voltar do fundo para defender as flats com eficiência?

Uma Cover 1 tem uma fraqueza enorme: deixa a maioria dos DBs no “mano a mano” com os WRs adversários. Mas, e se você tem DBs com capacidade de pressionar os WRs adversários tirando-os de tempo, e um Safety inteligente que consegue ler o QB rapidamente? E se além disso, sua linha defensiva é mais atlética do que a linha ofensiva adversária? Então uma Cover 1 pode funcionar pressionando o QB e tirando o ataque de seu ritmo.

Considere também suas fraquezas. Talvez seus DBs não têm fôlego para jogar em Cover 1 durante um jogo inteiro. E em determinado momento chega a hora de mudar para Cover 2 e ter mais suporte no fundo.

Estes são apenas exemplos de como você deve analisar os esquemas e o seu personnel de forma conjunta.

Outras Coverages


Além disso, é importante ressaltar que essas 5 coberturas que analisamos aqui são as coberturas básicas utilizadas no futebol americano. No entanto, existem diversas outras que derivam delas. Por exemplo, podemos dividir o campo em 2 e utilizar uma Cover 6 (Cover 2 de um lado, Cover 4 do outro). Ou utilizar uma Cover 40 (Cover 4 de um lado, Cover 0 do outro). Além disso, podemos utilizar covers híbridas, como a Cover 2 Read (que mistura regras da Cover 2 com a Cover 4 a depender dos primeiros passos do ataque).

Conclusões

O futebol americano pode ser tão complexo quanto sua criatividade. Mas ele sempre pode ser simplificado para você entender didaticamente o que está acontecendo. É apaixonante? É. É intrigante? Sim, muitas vezes. O futebol americano, na minha opinião, é a mistura perfeita entre habilidades físicas e inteligência.

Continua ligado aqui no blog que tem muita coisa legal vindo por aí. Estamos começando com o básico e vamos nos aprofundar em diversos conceitos deste esporte tão incrível.

0 visualização
- Newsletter -

CADASTRE-SE PARA FICAR POR DENTRO DAS NOVIDADES!

 

© 2023 by Recife Mariners Football.

  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone
  • Cinza ícone do YouTube